terça, 14 novembro 2017 12:29

O papel do farmacêutico na educação da pessoa com diabetes

Pela confiança e proximidade com a população, os farmacêuticos estão numa posição privilegiada para identificar precocemente indivíduos em risco de vir a desenvolver diabetes, tendo ainda um papel fundamental na adesão e gestão terapêutica das pessoas com diabetes. Em entrevista ao My Diabetes, a Dr.ª Rute Horta, coordenadora do Departamento de Serviços Farmacêuticos da Associação Nacional das Farmácias (ANF), explica a intervenção deste profissional de saúde numa doença que “não tem cura mas pode ser controlada”.

My Diabetes (MD) | Ao longo da carreira profissional, o farmacêutico tem momentos de formação pós-graduada para atualização de conhecimentos na área da diabetes?

Dr.ª Rute Horta (RH) | Sim, existem cursos de formação pós-graduada dirigidos a farmacêuticos com o objetivo de consolidar e atualizar conhecimentos sobre a diabetes e as suas complicações, terapêutica farmacológica e não farmacológica, guidelines nacionais e internacionais, autovigilância e educação terapêutica. São exemplo os cursos de formação neste âmbito organizados regularmente pela Escola de Pós-Graduação em Saúde e Gestão da Associação Nacional das Farmácias.

MD | Tendo em conta a relação de proximidade que o farmacêutico pode criar com o utente, que papel este profissional de saúde pode ter na prevenção da diabetes?

RH | Mais de um milhão de portugueses tem diabetes e, destes, cerca de metade desconhece ter a doença, que progride silenciosamente até surgirem as complicações da mesma. Mais ainda, cerca de dois milhões de portugueses têm hiperglicemia intermédia, com um risco elevado de desenvolver diabetes. A melhoria da resposta a esta doença necessita do envolvimento de todos e deve merecer uma particular atenção dos cuidados de saúde. Todos temos um papel a desempenhar no combate à diabetes em Portugal e os farmacêuticos, pela confiança e proximidade com a população, estão numa posição privilegiada para identificar precocemente indivíduos em risco de vir a desenvolver diabetes tipo 2, com referenciação dos riscos elevados aos cuidados de saúde primários para avaliação pelo médico. Neste âmbito, a Fundação Calouste Gulbenkian desafiou as farmácias para desempenharem um papel relevante neste desafio, nomeadamente na avaliação de risco da diabetes aos seus utentes. As farmácias de 64 municípios envolvidos neste projeto vão iniciar a avaliação do risco de diabetes aos seus utentes já a partir de hoje, 14 de novembro, Dia Mundial da Diabetes.

MD | Na sua opinião, de que forma o farmacêutico é tido em conta na gestão terapêutica da pessoa com diabetes?

RH| O farmacêutico é especialista do medicamento, tendo um papel fundamental na promoção do uso correto, efetivo e seguro dos medicamentos e na adesão à terapêutica. Também tem um papel essencial na identificação de problemas de adesão, duplicação não intencional da terapêutica, reações adversas e interações, situações que podem ser resolvidas pelo farmacêutico no âmbito da gestão da terapêutica dos doentes ou encaminhadas para avaliação pelo médico.

MD | Relativamente às complicações associadas à diabetes, qual a importância da intervenção do farmacêutico?

RH | Os farmacêuticos podem prestar aconselhamentos sobre os estilos de vida a adotar, nomeadamente em termos de alimentação saudável e prática de atividade física regular, e que são fundamentais para prevenir ou, pelo menos, atrasar o aparecimento das complicações da diabetes. A farmácia tem diversos serviços disponíveis, nomeadamente medição de glicemia, pressão arterial, entre outros parâmetros, consultas de Nutrição e Podologia, que podem ser utilizados pelos doentes de acordo com as suas necessidades.

MD | O farmacêutico pode ainda intervir ao nível da autogestão da pessoa com diabetes. De que forma?

RH | Através da promoção da autovigilância da glicemia e do reforço da adequação da terapêutica, farmacológica e não farmacológica, de acordo com as recomendações do médico.

MD | Há mais algum assunto que queira destacar?

RH | A diabetes não tem cura mas pode ser controlada. Os doentes com diabetes contam com as farmácias e os farmacêuticos para esclarecer as suas dúvidas sobre os medicamentos que tomam, sobre como controlar a sua diabetes e as estratégias a adotar para prevenir as complicações da doença.

PUB

Planning

Endo Planning

Newsletter

Receba a nossa newsletter.

APOIOS:
.......................

merckA Menarini Diagnostics CERT