quarta, 29 novembro 2017 10:03

Prevalência da diabetes em Portugal é superior à média europeia

O Relatório do Programa Nacional para a Diabetes 2016 foi apresentado no dia 14 de novembro no Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, numa cerimónia que contou com a presença do secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Prof. Doutor Fernando Araújo. Em declarações ao My Diabetes, a Dr.ª Cristina Valadas, diretora do Programa, revela que o combate à diabetes é “um trabalho de continuidade”, não existindo, por isso, “notícias bombásticas” para apresentar. Entre as boas notícias destaca-se o aumento do rastreio da retinopatia diabética e a diminuição do número de amputações derivadas do pé diabético.

De acordo com o Relatório, foi apurado pelo Inquérito Nacional de Saúde com Exame Físico (INSEF 2015) que a prevalência da diabetes na população portuguesa, entre os 25 e 74 anos, é de 9,8%, valor superior à média europeia e à média dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE). Relativamente às crianças, a taxa de prevalência é mais baixa que na dos adultos, situando-se nos 0,9/1000, sendo a média da OCDE de 1,2/1000.

De acordo com os dados apresentados, a prevalência de diabetes varia nas diversas regiões do país, sendo o Alentejo a região com maior percentagem (11,3%) e o Algarve a região que apresenta menor prevalência da patologia. Os números apontam para uma concordância entre a prevalência de diabetes e a obesidade: também é na região do Alentejo que se encontra a prevalência mais elevada de obesidade e a menor regista-se no Algarve.

Presente na sessão, a diretora-geral da Saúde, Dr.ª Graça Freitas, enfatizou que o aumento do rastreio da retinopatia diabética é “um motivo de orgulho”, assim como a redução do número de amputações associadas ao pé diabético “deve ser motivo de grande regozijo”. O Relatório apresenta 2016 como um ano em que foram realizadas 1.037 amputações, o valor mais baixo desde que há registo. Os bons resultados estendem-se à evolução do rastreio à retinopatia diabética: no ano passado foram realizados mais 100 mil exames do que em 2010.

Quanto às metas definidas pelo Programa, pretende-se identificar 30 mil casos de diabetes não diagnosticada, evitar 30 mil novos casos da doença e, ainda, diminuir em 5% o número de pessoas com diabetes que morrem antes dos 70 anos.

Diabetes: o papel das autarquias em colaboração com os profissionais de Saúde

“Entendemos que o papel das autarquias é mito importante na dinamização e promoção dos Cuidados de Saúde”, começou por explicar o Dr. Bernardino Soares, presidente da Câmara de Loures. Uma das mensagens deixadas pelos médicos na data em que se assinalou o Dia Mundial da Diabetes foi precisamente a necessidade de olhar para a patologia de forma global, envolvendo a comunidade política na procura de soluções.

O presidente da Câmara de Loures, que marcou presença na apresentação do Relatório referente a 2016, destacou o Plano Local de Saúde, assinado entre as Câmaras Municipais de Loures e Odivelas, o Hospital Beatriz Ângelo, o Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) de Loures e Odivelas, que define um conjunto de prioridades em relação à promoção de ganhos de Saúde, “à cabeça das quais se encontra a diabetes”. O autarca conclui: “É importantíssimo ter a consciência de que se o papel das unidades de Saúde é indispensável para o avanço destas matérias, não é menos importante que as entidades com as suas competências específicas promovam a sensibilização nas escolas, junto da população mais idosa, seja através do contacto com estas pessoas, através da disponibilização de equipamentos e condições de vida que permitam práticas saudáveis e minorem os riscos relacionados com a diabetes, ou até da intervenção que temos na construção das ementas escolares”.

Consulte o relatório completo, aqui.

 

PUB

Planning

Endo Planning

Newsletter

Receba a nossa newsletter.

APOIOS:
.......................

merckA Menarini Diagnostics CERT