Opinião

Educação terapêutica
Enf.ª Fernanda Gomes, enfermeira no Serviço de Endocrinologia, Diabetes e Nutrição do Centro Hospitalar do Baixo Vouga
01 Fev. 2017

A diabetes, paradigma da doença crónica, constitui um grave problema de saúde pública a nível mundial, não só pelo aumento da sua incidência, como também pela sua elevada morbilidade e mortalidade, revelando-se um verdadeiro desafio para os doentes e para os profissionais de saúde, requerendo a educação terapêutica (processo contínuo, integrado nos cuidados de saúde) para os doentes crónicos/família/cuidadores adquirirem e manterem conhecimentos importantes acerca do seu tratamento, de modo a conviver convenientemente com a sua doença.

Novos fármacos na DMT2: Agonistas do GLP-1R
Dr.ª Diana Martins, Endocrinologia/Nutrição, Serviço de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
17 Jan. 2017

O aumento progressivo da prevalência da diabetes mellitus tipo 2 (DM2), assim como a coexistência de diversos defeitos fisiopatológicos implicados na sua génese, determinaram a necessidade de desenvolvimento de novos alvos terapêuticos, direcionados não só para a melhoria do controlo glicémico mas também com efeitos ao nível do perfil metabólico e cardiovascular global e com o menor número de efeitos adversos associados.

Novos fármacos na DMT2: Inibidores SGLT2
Dr.ª Diana Oliveira, interna de formação específica em Endocrinologia e Nutrição Serviço de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo – Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
17 Jan. 2017

O tratamento da diabetes mellitus tipo 2 (DM2) continua a ser um desafio. Na última década tem surgido um interesse renovado pelo papel do rim na manutenção da hiperglicemia na DM2 e pelo seu potencial como alvo terapêutico.

Diabetes e cárie dentária
Dr.ª Ana Sofia Coelho, médica dentista, área de Medicina Dentária da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
11 Jan. 2017

O facto de a cárie dentária ser uma patologia multifatorial, implica a avaliação conjunta dos seus fatores etiológicos. Assim, é necessária a avaliação dos fatores primários (como o consumo de hidratos de carbono e a presença de bactérias cariogénicas) e secundários (como os hábitos de higiene oral), para que se possa, então, traçar o perfil de risco dos doentes.

No doente diabético e obeso - quando iniciar insulina?
Prof. Doutor Davide Carvalho, diretor do Serviço de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo do Centro Hospitalar de S. João, Porto. Professor Associado com Agregação da FMUP
11 Jan. 2017

A necessidade de diagnosticar, intervir e intensificar a terapêutica da diabetes atempadamente é reconhecida como indispensável para prevenir as suas complicações.

Obesidade: Vantagens e inconvenientes dos diversos tipos de dietas
Prof.ª Doutora Flora Correia, Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto
04 Jan. 2017

A obesidade é resultado da interação de vários fatores, sendo os principais a alimentação, a atividade física, stresse, consumo de álcool, estando por isso relacionada e dependente de estilos de vida menos saudáveis.

Diabetes e doença periodontal
Prof. Doutor Ricardo Faria Almeida, Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto
03 Jan. 2017

Das associações observadas entre o estado de Saúde Oral e as patologias sistémicas crónicas, a maior ligação é entre a doença periodontal e a diabetes mellitus.

Hipotiroidismo e hipertiroidismo subclínicos
Dr. Nuno Vicente, interno formação específica Endocrinologia e Nutrição, Serviço Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo do CHUC
03 Jan. 2017

A doença subclínica da tiroide define-se bioquimicamente por alterações das concentrações de TSH (aumento ou diminuição no hipotiroidismo e hipertiroidismo, respetivamente), mantendo-se a T4L normal. Tal como o nome indica, as manifestações clínicas são escassas, o que torna o doseamento destas hormonas fundamental para o seu diagnóstico.

Conselhos de nutricionista para uma época festiva mais saudável
Dr.ª Jenifer Duarte, nutricionista e voluntária na Associação de Jovens Diabéticos de Portugal
27 Dez. 2016

A época festiva é de felicidade e alegria, mas igualmente de tentação ao nível da alimentação. Saímos da rotina e temos na nossa mesa natalícia os petiscos mais variados e, habitualmente, com uma elevada quantidade de hidratos de carbono e lípidos. Consequentemente, o aumento da pressão arterial, de peso corporal e de glicemia podem ser uma realidade pelos erros cometidos por estes dias para os nossos pacientes.

O nódulo da tiroide em 2016
Dr.ª Joana Saraiva, assistente hospitalar de Endocrinologia Serviço de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo, Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
21 Dez. 2016

Os nódulos da tiroide são muito frequentes na população. O uso generalizado de meios complementares de diagnóstico tem originado uma “epidemia” de nódulos não palpáveis (incidentalomas). A maioria não condiciona sintomatologia e a sua importância reside na necessidade de excluir malignidade, presente em 7-15% dos nódulos dependendo da presença de fatores de risco.

Newsletter

PUB